30/12/2010

SAÚDE

Água regula peso de idosos

Pesquisas indicam que alguns goles antes das refeições podem ajudar a reduzir consumo calórico
Da Redação da Revista Cyan


copo_geral
Numa das pesquisas, os participantes beberam 500ml de água 30 minutos antes
das refeições

Certamente você já ouviu falar que beber um copo de água antes das refeições emagrece. Mais do que boato, essa recomendação da sebedoria popular tem sido comprovada em idosos.

Um estudo de 2007 concluiu que beber água 30 minutos antes das refeições reduz o consumo de calorias (e também da fome) em adultos idosos. No grupo de controle, formado por pessoas com idades entre 27 e 35 anos, o aperitivo de água não teve o mesmo efeito. A descoberta tem importância devido às evidências médicas de que as pessoas costumam ganhar peso conforme a idade avança.

Outro estudo, este de 2009, seguiu a mesma linha, com o objetivo de determinar se o consumo de água antes da refeição diminui o consumo de energia das refeições em idosos. Mais de vinte pessoas acima dos 60 anos, indivíduos com sobrepeso e obesos, receberam uma refeição padronizada em duas ocasiões aleatórias. Alguns participantes beberam 500ml de água 30 minutos da refeição. Então o consumo energético de cada refeição foi medido. Foi identificada uma redução de 13% no consumo de calorias nos indivíduos que beberam água.

Já em estudo publicado há alguns meses no jornal de pesquisas Obesity, o grupo pesquisado era composto de 48 indivíduos entre 55 anos e 75 anos, observados numa dieta de baixas calorias por aproximadamente 12 semanas. Eles foram divididos em dois grupos por cientistas da Virgínia, nos EUA. Parte foi orientada a beber dois copos de água antes de cada uma das refeições. O grupo que não bebeu água perdeu uma média de 5 quilos. Já o que bebeu, perdeu cerca de 7 quilos.

"As pessoas devem beber mais água e menos bebidas com alto teor calórico. Esta é uma maneira simples de controlar o peso", explicou à BBC a professora Brenda Davy, chefe desse último estudo.

Crédito foto: Johner

 

Deixe aqui seu comentário enviar |
Vista aérea do córrego do Crispim, feita a partir do balão do WWF-Brasil
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
A expedição visitou o início do córrego Crispim, a poucos metros da nascente, onde a água nasce límpida
Integrantes da expedição recebem informações de técnico da Companhia de Saneamento de Brasília (Caesb) sobre a nascente do Crispim e sobre a captação de água no local
Os incêndios são frequentes no entorno do córrego do Crispim, degradando a vegetação que protege o curso de água.
Travessia do córrego, rumo à foz.
Por falta de segurança e contaminação das águas, a população local deixou de frequentar as belas cachoeiras que se formam na foz do córrego Crispim, onde ele se junta ao córrego Alagados
Incêndios florestais são comuns à beira do córrego: um problema que o Projeto Bacias buscará minimizar.
Integrantes da expedição caminham rumo à foz do Crispim.