15/12/2011

CULTURA

Divulgadas as sete maravilhas do mundo natural

Duas atrações brasileiras ligadas ao universo das águas fazem parte da lista, escolhida pelo voto popular
Da Redação da Revista Cyan


O rio Amazonas e as Cataratas do Iguaçu estão entre as sete maravilhas da natureza, segundo concurso popular promovido pela organização New7Wonders, do empresário suíço Bernard Weber. A votação foi feita por meio da internet e de mensagens de texto e teve a participação de milhares de pessoas de todo o mundo.
A lista completa inclui ainda  a baía de Halong, no Vietnã, o Parque Nacional de Komodo, na Indonésia, a Montanha da Mesa, na África do Sul, a ilha de Jeju, na Coreia do Sul, e o rio subterrâneo de Puerto Princesa, nas Filipinas.

O concurso recebeu 450 candidaturas, mas apenas 77 passaram para a segunda fase, quando um painel de especialistas escolheu as 28 mais expressivas. Estas foram submetidas ao voto popular. Entre as finalistas, onze atrações eram da Ásia, sete das Américas, cinco da Europa, três da Oceania e duas da África.

Os resultados divulgados em meados de novembro são provisórios e deverão ser oficializados no início de 2012. Os organizadores informaram que pode haver alterações na lista final.

A mesma entidade já havia promovido há alguns anos outro concurso para a escolha das sete novas maravilhas do mundo moderno. Também nesse concurso uma atração brasileira - no caso, o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro - foi selecionada.

"Quando as sete novas maravilhas da natureza forem confirmadas, elas se juntarão às sete novas maravilhas do mundo e se tornaram parte da memória global da humanidade para sempre", declarou Bernard Weber na cerimônia de divulgação dos vencedores.

 

Deixe aqui seu comentário enviar |
  • 26.12.2011
  • 12h47
  • Terezinha Angelica Belato
  • Maravilha termos entrado na lista c/ 2. Tomara que conte ponto no quesito preservação.

Vista aérea do córrego do Crispim, feita a partir do balão do WWF-Brasil
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
A expedição visitou o início do córrego Crispim, a poucos metros da nascente, onde a água nasce límpida
Integrantes da expedição recebem informações de técnico da Companhia de Saneamento de Brasília (Caesb) sobre a nascente do Crispim e sobre a captação de água no local
Os incêndios são frequentes no entorno do córrego do Crispim, degradando a vegetação que protege o curso de água.
Travessia do córrego, rumo à foz.
Por falta de segurança e contaminação das águas, a população local deixou de frequentar as belas cachoeiras que se formam na foz do córrego Crispim, onde ele se junta ao córrego Alagados
Incêndios florestais são comuns à beira do córrego: um problema que o Projeto Bacias buscará minimizar.
Integrantes da expedição caminham rumo à foz do Crispim.