12/05/2010

CONSUMO CONSCIENTE

Quem consome mais água no planeta?

A agricultura é, de longe, o setor número um em gastança
Da Redação da Revista Cyan


Você sabia que, de toda a água gasta no mundo, 70% é destinada ao plantio de alimentos? Sim, a agricultura é, disparada, a atividade que mais consome água. As indústrias, por sua vez, utilizam 22% do total e os 8% restantes são destinados ao uso doméstico, como lavagem de roupa, limpeza, higiene pessoal, preparo de alimentos e consumo individual.

Esses números são médias mundiais e variam muito de um lugar a outro do planeta. Na Europa, por exemplo, a maior parte da água (54%) é usada pelas fábricas, enquanto a agricultura e o consumo humano respondem, respectivamente, por 33% e 13%. Já na África, as plantações consomem 88% de toda a água disponível - o uso doméstico fica com 7% do total e as indústrias, com 5%.

O mapa do consumo per capita considerando todos os tipos de gasto (agricultura, indústria e doméstico), revela que os países desenvolvidos são aqueles que mais consomem esse precioso líquido.

Na verdade, o mundo poderia, a partir da perspectiva do consumo hídrico, ser dividido em dois. De um lado, estaria o grupo formado pelos países da África, América do Sul, Caribe, Oceania e maior parte da Ásia, onde a agricultura é a atividade que mais gasta água. Do outro, figurariam as nações da Europa e América do Norte, onde a liderança no consumo fica com o setor industrial.

Estudos apontam que 60% da água empregada no plantio de alimentos se perde em vazamentos, na evaporação ou na infiltração no subsolo. Técnicas mais eficientes precisam ser empregadas para reverter esse quadro.A conservação desse recurso, essencial à vida, depende de duas medidas importantes: aumentar o índice de reuso de água e conscientizar a população, indústrias, empresas e agricultores em geral para a necessidade de economizar. Dessa forma, estaremos evitando que as gerações futuras convivam com um quadro crônico de escassez hídrica.

 

Deixe aqui seu comentário enviar |
  • 19.06.2012
  • 14h56
  • Lucas Moreira Grisolia
  • Mas e o comércio e a pecuária, qual é a porcentagem do consumo desses grupos?

  •  
  •  1 
  • |
  •  2 
  • |
  •  3 
  • |
  •  4 
Vista aérea do córrego do Crispim, feita a partir do balão do WWF-Brasil
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
A expedição visitou o início do córrego Crispim, a poucos metros da nascente, onde a água nasce límpida
Integrantes da expedição recebem informações de técnico da Companhia de Saneamento de Brasília (Caesb) sobre a nascente do Crispim e sobre a captação de água no local
Os incêndios são frequentes no entorno do córrego do Crispim, degradando a vegetação que protege o curso de água.
Travessia do córrego, rumo à foz.
Por falta de segurança e contaminação das águas, a população local deixou de frequentar as belas cachoeiras que se formam na foz do córrego Crispim, onde ele se junta ao córrego Alagados
Incêndios florestais são comuns à beira do córrego: um problema que o Projeto Bacias buscará minimizar.
Integrantes da expedição caminham rumo à foz do Crispim.