17/02/2012

AMBIENTE

As maiores enchentes do mundo nos últimos 10 anos

Da Redação da Revista Cyan


Seis meses após as enchentes que devastaram o Paquistão, vídeo mostra a resposta da ONG Médicos Sem Fronteiras nesse período

 

Os últimos 10 anos foram marcados por inúmeras catástrofes naturais envolvendo água - a costa nordeste do Japão, por exemplo, foi arrasada por um tsumani originado a partir de um terremoto violento em março de 2011 - veja imagens aqui.

Cidades de todo o mundo também padeceram com as enchentes. As chuvas torrenciais fizeram com que inúmeros rios e lagos transbordassem, levando destruição, caos e mortes a diversas regiões do globo.

O International Disaster Database, organização de Bruxelas, reúne informações sobre as enchentes mais graves da última década - o centro belga faz o levantamento mundial dessas catástrofes há mais de 30 anos.

Felizmente, o Brasil não figura na lista das piores enchentes da década. No entanto, também temos aqui morte e destruição causada pela força da água. Em janeiro de 2011, a região serrana do Rio de Janeiro recebeu em apenas 24 horas a quantidade de chuva prevista para o mês inteiro: as cidades ficaram debaixo d'água e o solo das encostas cedeu, causando deslizamentos que passaram por cima do que estava no caminho, de casas humildes a mansões.



As enchentes mais letais dos últimos 10 anos


1) Haiti - 2,6 mil mortes - maio de 2004

Fruto de uma tempestade tropical, as chuvas torrenciais fizeram com que os rios transbordassem no país, levando destruição e caos a diversas cidades litorâneas.


2) Paquistão - 1,9 mil mortes - junho de 2010
Além das mortes, as enchentes danificaram cerca de 3,5 milhões de hectares de terras agrícolas, um quinto da terra cultivada do país. Cerca de 20 milhões de paquistaneses foram afetados.


3) China - 1,7 mil mortes - maio de 2010
Um dos principais rios do país, o Yangtze, subiu 15% a mais do que na média, destruindo casas e plantações.


4) Índia - julho de 2005 - 1,2 mil mortes
Chuvas de monções no oeste da Índia provocaram cheias recordes na época


5) Bangladesh - julho de 2007 - 1,1 mil mortes; Índia - julho de 2007 - 1,1 mil mortes
Chuvas constantes por quase três semanas no sul da Ásia provocaram enchentes em diversos países da região e deixaram quase 20 milhões de desabrigados.


6) Índia - junho de 2008 - mil mortes
Calcula-se que as cheias tenham afetado 8 milhões de indianos.


7) Índia - julho de 2009 - 992 mortes
Uma forte temporada de chuvas de monções afetou diversos Estados indianos, deixando estimadas 500 mil casas inundadas.


8) Índia - junho de 2004 - 900 mortes
O sul da Ásia foi atingido por fortes chuvas no verão de 2004, que afetou 70 milhões de pessoas, grande parte delas na Índia.


9) China - junho de 2002 - 793 mortes
A quantidade de chuvas superou as previsões das autoridades, que foram forçadas a organizar a evacuação de 12 mil pessoas em áreas de risco na Província de Jiangxi, no sudeste do país.


Fonte: International Disaster Database

 

Deixe aqui seu comentário enviar |
Vista aérea do córrego do Crispim, feita a partir do balão do WWF-Brasil
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
Feito com estrutura de bambu, o viveiro será mantido e cuidado pela comunidade local
A expedição visitou o início do córrego Crispim, a poucos metros da nascente, onde a água nasce límpida
Integrantes da expedição recebem informações de técnico da Companhia de Saneamento de Brasília (Caesb) sobre a nascente do Crispim e sobre a captação de água no local
Os incêndios são frequentes no entorno do córrego do Crispim, degradando a vegetação que protege o curso de água.
Travessia do córrego, rumo à foz.
Por falta de segurança e contaminação das águas, a população local deixou de frequentar as belas cachoeiras que se formam na foz do córrego Crispim, onde ele se junta ao córrego Alagados
Incêndios florestais são comuns à beira do córrego: um problema que o Projeto Bacias buscará minimizar.
Integrantes da expedição caminham rumo à foz do Crispim.